sexta-feira, 23 de maio de 2014

Um Cantinho do Mapa

23.mai.2014

Esta noite, ou madrugada para os que não partilham do meu sistema de fuso horário, estava fazendo algo que há muito não fazia com calma: jogar um joguinho. Tratava-se de um jogo de estratégia (Hearts of Iron 3, para os interessados), e neste jogo há um belo mapa do mundo com diversas pequenas regiões assinaladas. Cada cantinho com a sua história…

E foi então que ao dar zoom numa determinada área da Alemanha, me vi de volta a Baden-Württemberg, me lembrando de tantas coisas… Cada região, uma lembrança, cada canto, uma história.

Desde Strasbourg, na França, onde estive com minha família aos 7 anos, logo antes de entrar na Alemanha, rumo a Munique. Karlsruhe, cidade onde morei, base de uma experiência quase inacreditável. Hoje sei que aquela época foi um verdadeiro milagre. Como eu, depois de tantos percalços, dores, fracassos e tristezas, poderia estar num cenário mágico de história, amizade, aventura e tanta, mas tanta beleza? Quanta sorte os céus decidiram me entregar, tanta generosidade e fartura, para alguém tão pequeno, simples e desmerecedor. Um milagre.

Ali em cima, em Mannheim, trabalhava um narigudo que sempre tive na mais alta conta, e que sempre penso não ter tratado da maneira que merecia. Quanto mau-humor o pobre teve que aturar, tantos resmungos e chatices. Hoje vejo a sorte que tive, que sempre tive, não sei como, mas que agradeço e valorizo.
Descendo para Freiburg, me deparo neste singelo mapa com Tubingen. Haviam me dito que era um local pequeno, mas foi grande o bastante para merecer aparecer neste mapinha. De lá este famoso narigudo importou uma esposa extraordinária, séria, trabalhadora, parceira, e dona de um sotaque que ainda a acompanha. Em Freiburg, uma lembrança. Uma festa de aniversário de um alemão, nosso hóspede aqui, nosso anfitrião lá. Pitoresco evento, uma noite acampados, e nos pusemos a caminho de Basel, para a final da Copa. 

No caminho de Basel havia Lörrach. Então apenas um castelo próximo à estrada. A dupla que nos acompanhava se uniu a nós na invasão daquele reduto germânico medieval, e desta invasão roubei essa lembrança. 

Então Basel. Susto, prisão, finalmente a Copa, e uma comemoração memorável por uma vitória sofrida e especial. A Suíça mostrou-se ambígua e incerta. Lá fui ferrenhamente defendido por soldados alemães, quem diria?  Grande orgulho trago deste fato, e uma lembrança especial.



Um cantinho tão pequeno do mapa, como podem caber tantas lembranças? Visões, emoções, cheiros e conversas? Tanta beleza? Um milagre.

Seguindo para Leste, acima de Stuttgart me lembro de Rothenburg ob der Tauber. Uma época quando as coisas eram tão simples, e eu era apenas um simples namorado, perdidamente apaixonado. Tão simples. Lá comprei minhas primeiras espadas, e um grupo de alabardas para amigos especiais que me aguardavam no Brasil, entre feitiços e dragões, entre risadas e abraços, tanta alegria. Como é possível? Um milagre.

Rumo ao Sul, Schwabisch Hall. Pequena demais para este mapa, mas S. Gmund é sua vizinha maior. Uma cidadezinha com mais de setecentos anos, e tanta juventude, tanta beleza. Inúmeras lembranças de bares e pintores, lagos e parques. Igrejas e uma fatia de torta de morango. E Casablanca, claro. Ah, Casablanca, antro de piratas e artistas. E lá estava o Pedrinho.

Depois, Oberstdorf, para onde fomos em busca de neve,e que nos levou ao pequeno vale de Inner Pitztal, Também pequeno demais para o mapinha. Lá conhecemos os Franks e um Sr. Martin, que observava cabritos.

Ali ao lado, Garmisch Partenkirchen, meu destino de esqui com 7 anos, inalcançável em 1975 devido a um desmoronamento na estrada. Nunca esqueci deste nome, e imaginei essa cidadezinha muitas vezes. Mas lá nunca fui.

Por fim, Munich. Bem adequado, pois foi um lugar abençoado. Estive lá de mãos dadas com meu pai aos 7 anos, todo encapotado, morrendo de frio. Me lembro muito dessa caminhada de mãos dadas com meu pai. Que maravilhosa lembrança, que sorte a minha ter podido experimentar essa sensação de segurança, carinho e supervisão. Nada poderia jamais dar errado. Hoje, quando dou a mão às minhas filhas, vejo que a sorte me acompanha, me permitindo proporcionar a elas a mesma lembrança, a mesma sensação. Depois lá voltei, novamente de mãos dadas, e vi corrida de bigas, cervejarias e Ciência girando ao redor de uma bomba V2. Me plantei ao lado de um Messerschmitt 109, e dei uma sonora gargalhada! Como seria isso possível, meu Deus?

Tinha que ser um milagre.


sábado, 20 de julho de 2013

REFORMA POLÍTICA JÁ



Primeiramente quero dar os parabéns a nós, o Povo brasileiro, por reiniciar esse processo democrático de participação, reclamação, protestos, cobranças e demandas. Todo este esforço popular vai gerar melhorias para todos e, se houver persistência, vai mudar a estrutura política do país.

Em todo movimento multi-facetado como este, o foco muda constantemente. Sem lideranças formais as demandas variam, orbitando sempre ao redor do fim da corrupção, do repudio à nossa classe política como um todo, generalizando com pouco risco de se cometer injustiças.

E é por isso que escrevo agora. Vociferamos acertadamente sobre diversas questões pertinentes, mas quero puxar o foco para alguns pontos que considero principais. Pontos que fornecerão ao povo as armas para efetuar mudanças duradouras no país.


REPÚDIO AOS POLÍTICOS E AO SISTEMA ELEITORAL

Este deve ser o tema principal dos protestos. No Rio de Janeiro, Fora Cabral deve ser seguido de Fora Lindhberg, Fora Garotinho, Fora Crivella. Igualmente não podemos mais tolerar a Câmara sendo ocupada sempre pelas mesmas famílias, como um feudo medieval. Chega de Sarneys, Collors, Neves e os demais. Chega desses partidos que não representam ninguém a não ser eles mesmos!!  Num tempo onde a voz de um jogador de futebol (Romário, brilhante em suas denúncias) faz mais sentido que a de senadores, está na hora de repudiarmos o sistema, e não apenas alguns indivíduos.

Nestas manifestações as demonstrações partidárias tem sido poucas, e acho isso muito saudável neste momento. O fim da corrupção interessa a todos, de direita, centro e esquerda. Temos que deixar as bandeiras de partidos e ideologias na gaveta para brigar por questões diretas, de forma pragmática. Após redefinirmos as regras, então sim, se reorganizem como preferirem e vamos disputar os votos, sejamos rivais nas urnas, sem as regras viciadas de agora.

Mas temos que deixar isto esperar até conseguirmos mudar o sistema eleitoral. Até que o custo de nosso Congresso seja tremendamente reduzido. Até que o sistema seja modificado.

Queremos a renúncia antecipada e obrigatória ao sigilo bancário e financeiro ainda no registro da candidatura estendendo-se até 5 anos após o termino do mandato. Não concorda? Não poderá ser candidato a nada, nem vereador. Ao se candidatar tinha patrimônio de 1 milhão e 10 anos depois passou para 30 milhões, sem justificativa? Tem que ser ladrão!

Queremos não só proibir a re-eleição, mas estender esta proibição a todos os familiares até 3º grau. Política não pode ser arrimo de família, não pode ser hereditária!! Sejamos radicais assim neste momento, isto incomodará tremendamente os vilões que destroem nosso país.

Temos que eliminar qualquer imunidade parlamentar, salvo o direito de expressão. Se for criminoso, cadeia! Se roubar, devolve e é preso! Se beneficiou o filho ou o genro, cadeia em todos, e retomada de todos os bens!! O nepotismo tem que ser combatido com vigor!

Temos que facilitar novas candidaturas, seja através de novos partidos ou de outras associações. Temos que limitar e fiscalizar as doações de campanha!

Temos que acabar com essa barbaridade de voto proporcional, heranças e legendas! Se eu voto em um candidato não posso admitir que isso vá ajudar outros, sejam do mesmo partido ou não!

Temos que propor o voto distrital!

A Reforma Política nesses moldes deve ser a nossa prioridade. Nenhum governo jamais vai propor nem metade disso. Essa demanda tem que vir da rua, de nossos gritos, de nossas faixas.

E não podemos desanimar, o movimento não pode esmaecer, pois já vimos que os governos federal e estadual demonstram total desrespeito ao povo, seja com a violência e armação nas manifestações, seja nas contra-propostas desonestas, verdadeiramente infames da Presidência.

Além disso, que se cumpram as punições determinadas aos ladrões do mensalão, e que se investigue todas as obras da Copa, e se abram todas as caixas pretas.

Políticos, o dinheiro que usam é nosso, e queremos ver a prestação de contas!!

#VemPraRua

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O Poço de Mentiras

Fora Cabral


Olá Pessoal,

Este não é um conto sobre um poço encantado, ou uma história mágica para encantar as crianças. Adoraria escrever mais uma dessas, porém cumpro hoje a função de repórter.

Ontem estive na manifestação em frente à casa do Cabral, pela primeira vez indo em pessoa a um protesto. Cheguei lá já tarde, às 22:15, e caminhei por alguns quarteirões, observando os manifestantes, e também os policiais que mobilizaram um efetivo respeitável para a defesa do Governador. Então vamos aos fatos.

No horário em que cheguei a manifestação já estava caminhando para o fim. Já havia menos gente que no pico, deveriam estar lá algo em torno de 1.000 a 2.000 pessoas no total. Na Aristides Espínola, no finalzinho, quase esquina com Delfim Moreira os manifestantes improvisaram um palanque em cima da estação de bicicletas do Itaú e de lá cantavam e gritavam seu descontentamento com a roubalheira perpetrada por Sérgio Cabral. Tudo num clima sadio de comentários espirituosos e versos contundentes. 

Diversos manifestantes estavam com máscaras de gás no pescoço, já escolados em relação à resposta policial usual. Não confundir estes com vândalos, estes lá estavam cantando e gritando, protestando pacificamente.

Por volta de 22:20 o grupo se moveu para a esquina de Aristides com Ataulfo, bloqueando o trânsito. Aqui, uma pequena digressão: É um grande estorvo para quem fica preso no tráfego, eu reconheço, mas é preciso haver um mínimo de modificação no cenário usual para que o protesto represente alguma coisa. A dor de cabeça gerada foi inevitável, e a menor possível. Neste momento dois taxistas furaram o "bloqueio", arriscando um acidente. Estão no You Tube, todos dois. Vejam aqui.

Em seguida, por volta de 22:45 a polícia inexplicavelmente (vou explicar ali adiante) começou a avançar em direção aos manifestantes, vindo da Aristides com San Martin. A PM começou então a lançar bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo, e as luzes da rua se apagaram. Provavelmente devido ao clarão da bomba de efeito moral, que gera um grande flash no momento da explosão. Em seguida ao apagão da região, manifestantes queimaram algo que não identifiquei na frente do BB Lanches, na Aristides. Esse fogo aparece neste outro vídeo aqui.

Neste momento, quando o gás começou a incomodar, e a PM a se aproximar, tomei o caminho de casa, e passei a acompanhar o desenrolar dos eventos pela mídia Ninja. Aqui estão alguns links para verem o material filmado por esta turma corajosa ontem, e em eventos anteriores:


Bem, então o caldo começou a engrossar. Já em casa, assisti à cobertura da mídia ninja. Como sempre, o vandalismo partia de poucos e sempre após a ação da polícia se iniciar. Nesta altura a quantidade de pessoas era muito pequena. A rua era toda da polícia. E começou o quebra-quebra.

Vejam só, isso não é uma suposição selvagem ou teoria da conspiração. É evidente. Vou falar com todas as letras: Eu acredito que a polícia promoveu o quebra-quebra. Trata-se da única explicação possível. Se a PM consegue dissolver uma reunião de 2.000 manifestantes, como não conseguiria avançar 150 metros e prender quem estava quebrando o Banco Itaú? Trata-se simplesmente de MENTIRA, descarada. Nossos serviços de segurança acham, e com alguma razão, em certos casos, que o povo é burro o suficiente para acreditar nessa balela. Não cometam esse mesmo erro. A verdade é que o quebra-quebra foi chancelado e provavelmente efetuado pela PM.

Mas, para comprovar essa teoria, teríamos que ter outra polícia prendendo os vândalos, que então seriam identificados como...  policiais, provavelmente. Difícil mesmo.

Então vamos seguir com os fatos.

A partir daí o grupo de manifestantes se dirigiu pela Ataulfo até Ipanema. Houve um boato de morte na Lagoa, e a Ninja correu para lá, de táxi, mas não havia nada. Então, alguma confusão na Aníbal de Mendonça, na altura da Rua Redentor. Neste momento um policial do BOPE apreendeu uma faixa dizendo "FORA CABRAL". Não podemos portar faixas? Questionado, o PM, que ocultava seu nome, se recusou a se identificar, cometendo assim um crime. Mas quem iria proteger a população dos crimes da própria PM? Estamos ficando sem recursos legais para reclamar. O governo Cabral está avançando para um totalitarismo incrível em pleno século XXI. Espero que eu esteja certo em afirmar que ele não sabe o que vai sair da caixa que ele mesmo está forçando a abertura.

Nesta ocasião, já com canhão de água atirando nos manifestantes, que estavam em número mínimo, não deviam ter nem 100, a PM então prende os que iria tachar de vândalos. Prenderam uns 10, entre os quais uma turista espanhola que acompanhava o movimento e na ocasião estava fugindo das bombas e gás, e um humorista político chamado Rafucko. Foi todo mundo para a 14a DP, quase em frente ao Shopping Leblon.

Vejam aqui o site do Rafucko: rafucko.com

Neste momento a polícia faz mais uma manobra genial. Enquadra os manifestantes por formação de quadrilha! Cobra fiança de R$ 700,00 por pessoa. Não sei se todos os presos conseguiram sair.

E nada, mas absolutamente NADA disso foi reportado na mídia. É de dar medo. E agora teremos que ver que "medidas" nosso Governador irá tomar para conter o movimento. E este só vai parar com a saída do Governador. E então teremos que tratar do outro problema. O que fazer com a sucessão?

Nossos principais candidatos:

Garotinho (parece sacanagem, mas é verdade) - Uns dos ladrões mais notórios do país
Lindhberg - Outro vendido de 5a categoria, candidato pelo PT!!!
Pezão - Vice do Cabral, não é preciso dizer mais nada
Crivella - Evangélico envolvido em máfia dos bingos e outras falcatruas.

É, teremos muito trabalho para impedir todos esses de entrar. Só com reforma política. Leiam o que acho disto aqui. Talvez voto nulo em massa nas próximas eleições? Sinceramente não sei. Mas sei que devemos continuar a fazer barulho até consertar esse país, leve quanto tempo levar.

#VemPraRua

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sugestão de Pauta para as Manifestações:


Sugestão de Pauta para as Manifestações:

Sou um cidadão brasileiro, classe média, bem instruído (eu imagino). Já com 44 anos, sem tempo para ir às manifestações (infelizmente), e pai de família. Já ouvi e li muita gente falando sobre o assunto, desde textos memoráveis até exemplos raros de estupidez. Resolvi então, deixar a minha visão do momento. 

Primeiramente, é uma coisa linda ver o povo, no qual orgulhosamente me incluo, ir às ruas para enfim gritar alto contra o que o incomoda, o perturba, o enfurece há já muitos anos. 
Vou manter este texto cuidadosamente apartidário, assim como as manifestacões que tem repelido tentativas de liderança partidária, eu também não conheço nenhum partido que julgue digno de me representar, seja por improbidade óbvia, seja por divergência ideológica acentuada, ou ignorância mesmo.

Isso dito, eu penso que este momento é uma rara oportunidade de pleitearmos mudanças que poderão ser duradouras e que, a longo prazo, vão representar bem mais que uma ou outra cabeça corrupta rolando pelas ruas (cena bela de se imaginar, claro). Até agora esse povo já encurralou o governo contra a parede. Os políticos estão, como se diz nas altas rodas da química, com o cobre na mão (símbolo do elemento Cobre - ver Tabela Periódica dos Elementos). Neste momento o povo pode pedir, deve exigir, que vai conseguir. Mas vamos pedir direito!

O que nos enfurece seguidamente há décadas? collor? fhc? lula? dilma? Claro que, dependendo de nossas preferências, teremos muito a falar de qualquer das personagens acima. Então vamos pedir o impeachment dessa criatura nefasta que nos governa? Seria justo, seria razoável, sem dúvida alguma. Mas seria pequeno e pontual. Entraria o vice, que perpetuaria as ações corruptas, populistas e egoístas do governo. Ou, pior ainda, entraria o presidente da câmara dos deputados (uso geral sem maiúsculas intencional). Sabem quem é essa figura? Então, temos que pensar melhor nos que nos incomoda e principalmente no que mais atrapalharia nossos ladrões de brasília e outros antros.

O que eu sugiro é que façamos uma lista pequena (há controvérsias...) e não pontual (no sentido temporal) de reivindicações, focadas em dar à nós, o povo, os meios de substituição da escumalha que mama em nossas tetas há tanto tempo. Meios para acabar com feudos de famílias que vergonhosamente se perpetuam no poder, como os sarney, magalhães, collor e neves da vida. E agora também cabral, silva e rousseff. Deixemos as reivindicações pontuais na gaveta para serem solicitadas assim que as prioridades aconteçam.

Aqui vai minha lista de prioridades:

Objetivo 1: Tornar a ascensão de gente honesta mais fácil.
Requisições:
a. Voto distrital
b. Redução sensível nos requerimentos de criação de partidos para remover a dependência das estruturas eleitorais viciadas existentes
c. Facilitar a criação e registro de candidaturas. Teremos muitos candidatos, sem dúvida, mas poderemos encontrar alguns que prestem.

Objetivo 2: Tornar a corrupção mais arriscada e os cargos menos apetitosos.
Requisições:
a. Impossibilidade de reeleição (um pouco radical, mas o momento pede realismo. Os utópicos podem seguir esperando como sempre fizeram.)
b. Redução drástica no salário do legislativo - reduzir a 1/3 do atual (não me venham dizer que vão roubar mais por causa disso, leiam as requisições abaixo)
c. Redução drástica no número de cargos, assessores e benefícios pagos pelo público. Cada parlamentar deveria ter 2 assessores no máximo, e pronto. Apartamento funcional em Brasília e acabou. Aposentadoria pelo INSS e saúde pelo SUS. Quer plano privado, paga como o resto dos mortais. Carro nem pensar.
d. Prestação de contas total de todos os gastos. O que aconteceu agora de sigilo em gastos com cartões corporativos seria algo risível, sem chance. Vai declarar tuuuudo, ou ser processado por isso.
e. Aprovação pelos candidatos de devassa nas contas particulares do indivíduo e seus parentes mais próximos por 15 anos a contar de 2 anos antes do registro da candidatura. Nada de sigilo bancário! Quer roubar, vai ter muito trabalho para conseguir esconder.
f. Exigência de ficha limpa para aprovação da candidatura. Vamos evitar os criminosos.
g. Aumento das consequências para o crime de corrupção, abuso de poder, e similares. Penas maiores e mecanismos mais eficientes de coleta de dados.
h. Fim do voto secreto
i. Transparência total nas deliberações, votos e trâmites do legislativo

Objetivo 3: Tornar nosso sistema eleitoral mais democrático.
Requisições:
a. Fim do voto obrigatório
b. Restrições significativas aos valores usados em campanhas

Peço aos heróis que leram tudo isso que editem, acrescentem, comentem, mas divulguem, se concordarem. Isto sendo implementado chutamos a corja dominante da política no voto mesmo. A partir daí fazer a limpeza vai ser muito mais fácil.

As reivindicações pontuais, atacamos quando essas acima forem canetadas. Minha lista secundária compreende:

1. Impeachment da dilma
2. Impeachment do cabral
3. Prisão imediata de todos os condenados do mensalão
4. Investigação pormenorizada dos bens dos últimos 4 governantes e seus familiares para localizar (se houver, claro - hahaha. ) eventuais aumentos patrimoniais não justificados.
5. Análise e debate mais detalhado e claro sobre as PECs, visando manter ou aumentar o equilíbrio de poder entre os Três Poderes.
6. Investigação isenta sobre os gastos públicos dos grandes eventos. Nada de cancelar, vamos é punir quem de direito!

Em tempo: Não me venham pedir para não usar o verde-e-amarelo. Sou brasileiro! Não sou chinês, americano, russo nem cubano. Minhas cores são essas mesmo. Verde, Amarelo e Azul. Com muito orgulho.

#VemPraRua #OGiganteAcordou

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Série Cosmos, de Carl Sagan




Dia desses zapeando pelos canais abertos topei com algumas cenas esmaecidas e sem o brilho característico das imagens em alta definição. O crédito deve ser dado à tamanha reprise. Estava ligado na TV Escola e as velhas imagens pertenciam à série televisiva “Cosmos”, de Carl Sagan que estavam sendo exibidas na sua versão dublada. Logo a saudade me veio. Fonte que me abasteceu com conhecimentos científicos arrojados, porém explicados de uma forma genialmente simples.

A série exibida no Brasil na década de 80 era uma produção do próprio Sagan com sua esposa Ann Druyan, produzida pela KCET e Carl Sagan Productions, em associação com a BBC e a Polytel International. Talvez não tenha deixado saudades, nem lembrança para a maioria. Mas, aqueles que possuíam a mínima curiosidade por astronomia, astrofísica, história, física, matemática e química, por certo darão o devido crédito à série. Posso estar enganado, mas foi a primeira vez que assuntos cabeludos como buraco de minhoca, espaço-tempo, relatividade, macro e microcosmos e até vidas extraterrestres foram abordados por um documentário de TV de uma forma clara e inteligentemente criativa. Sem nos darmos conta, estávamos fisgados e lidando com questões como velocidade da luz ou batendo palmas por entender como grandes matemáticos do passado fizeram para calcular a circunferência da terra.






Isto era Carl Sagan. Astrofísico norte-americano, nascido em Nova Iorque em 1934 e falecido em Seattle, EUA em 1996. Especialista em planetologia e exobiologia foi conselheiro científico da NASA e colaborou nos programas das sondas espaciais Viking e Voyager. Esta última, o primeiro artefato humano a deixar o sistema solar, que em meio a sua lenta peregrinação pelos confins do nosso sistema enviou centenas de fotos nos mais amplos espectros de onda. Lembro - sim, de tanto ver a série encontrei e adquiri na feira de livros da Cinelândia, aqui no centro do Rio de Janeiro, o livro que deu origem à série - e ficava examinando em detalhes a bela foto do disco de ouro que a espaçonave levava. Um belo LP que no lado A estavam gravados os sons da Terra. Um mosaico sonoro que incluía vozes de baleias, risadas humanas, sons da natureza, talvez engenhos humanos em funcionamento e transmissões radiofônicas. No lado B um manual de instruções, em linguagem matemática, que ensinava qualquer inteligência extraterrestre a construir uma eletrotralha parecida com uma vitrola para fazer o tal disco tocar.
Sagan, além de autor de outras obras de divulgação científica, também colaborou com o Projeto SETI, uma rede de radiotelescópios que até hoje rastreiam o espaço sideral em busca de sinais de rádio potencialmente inteligentes. Aqui no planetinha, o sinal de TV produzido pela BBC encantava, e arrisco dizer, influenciou mesmo muitos jovens a seguir a carreira científica.



“Cosmos” era deliciosamente revolucionário. E ainda o é. Mesmo em inferioridade de condições técnicas como produto televisivo, as modernas criações do gênero e quadros científicos de programas de domingo, como o “Poeira das Estrelas”, do físico e astrônomo brasileiro Marcelo Gleiser, exibido no Fantástico em 2006, nada mais fazem do que homenagear e seguir a fórmula. Algumas delas conseguem hoje repetir a façanha, igualar ou superar “Cosmos” e suscitar em mim igual empolgação e sede de conhecimento. Mas atribuo a Carl Sagan o pioneirismo e a fantástica capacidade de conduzir leigos nos, por vezes, difíceis caminhos da ciência.



Reproduzo abaixo um fantástico exemplo do que digo. É um trecho extraído do tal livro que possuo, e sempre que quero lembrar o quanto é difícil escrever para televisão, tenho nele um bom exemplo de criatividade e simplificação. É uma bela criação narrativa e científica para elucubrar a respeito.

Imaginemos que habitamos um país estranho onde todos são perfeitamente planos. (...) Nós a chamamos de Terra dos Planos. Alguns de nós são quadrados, outros, triângulos, alguns possuem formas mais complexas. Corremos precipitadamente para dentro e para fora de nossas construções planas, ocupados com nossos afazeres e brincadeiras planas. Todos na Terra dos Planos têm largura e comprimento, mas não altura. Sabemos sobre esquerda e direita, para frente e para trás, mas nenhuma idéia, ou remota compreensão, sobre cima e embaixo, exceto os matemáticos planos. Eles dizem: "Escutem, é muito fácil. Imaginem a esquerda e a direita. Imaginem à frente e atrás. Tudo bem até aqui? Agora imaginem outra dimensão, em ângulos retos com as outras duas." E nós respondemos:"Do que vocês estão falando? Ângulos retos com as outras duas? Existem somente duas dimensões. Apontem esta terceira dimensão. Onde está ela?" Então os matemáticos, desanimados, desistem. Ninguém escuta os matemáticos.

Toda criatura quadrada na Terra dos Planos vê outro quadrado meramente como um pequeno segmento de reta, o lado do quadrado mais próximo dela. Ela pode ver o outro lado do quadrado somente se caminhar um pouco. Mas o interior do quadrado é sempre misterioso, a menos que algum acidente terrível ou autópsia rompa os lados e exponha as partes internas.

Um dia, uma criatura tridimensional, com a forma de uma maçã, por exemplo, chegou à Terra dos Planos e andou a esmo por lá. Observando um quadrado particularmente atraente e bem proporcionado, entrando em sua casa plana, a maçã decide, em um gesto de amizade interdimensional, dizer "olá". "Como vai você?"pergunta o visitante da terceira dimensão. "Eu sou o visitante da terceira dimensão."O infeliz quadrado olha à volta da sua casa e não vê ninguém. Ainda pior, para ele, parece que o cumprimento, vindo de cima, está emanando do seu próprio corpo plano, uma voz interior. Uma pequena insanidade, talvez ele pense corajosamente, e corre para a sua família.

Exasperada por estar sendo julgada uma aberração psicológica, a maçã desce à Terra dos Planos. Agora, uma criatura tridimensional pode existir, na Terra dos Planos, somente em parte; pode ser visto somente um corte, somente os pontos de contato com a superfície plana da Terra dos Planos.Uma maçã escorregando na Terra dos Planos apareceria primeiro como um ponto e então progressivamente maior, quase que em fatias circulares. O quadrado vê um ponto aparecendo em um quarto fechado em seu mundo bidimensional e lentamente crescer transformando-se quase em um círculo. Uma criatura de forma estranha e mutável surgiu de algum lugar.

Rejeitada, infeliz com a obtusidade dos muitos planos, a maçã bate com força no quadrado e o levanta, vibrando e girando nesta misteriosa terceira dimensão. A princípio o quadrado não consegue entender o que está acontecendo: está totalmente fora da sua experiência. Eventualmente ele se conscientiza de que está vendo a Terra dos Planos de um local vantajoso peculiar: "acima". Pode ver dentro de quartos fechados e dentro de seus companheiros planos. Está vendo seu universo de uma única e devastadora perspectiva. Viajar através de uma outra dimensão proporciona, como um benefício incidental, um tipo de visão de raios X. Eventualmente, como uma folha que cai, nosso quadrado lentamente desce para a superfície. Do ponto de vista dos seus companheiros da Terra dos Planos, ele desapereceu de modo inexplicável de um quarto fechado, e então materializou-se, aflito, em algum lugar. "Pelo amor de Deus", dizem eles, "o que aconteceu com vocês?" "Penso", descobriu-se dizendo, "que estava acima". Eles dão pancadinhas em seus lados e o confortam. As desilusões sempre aconteceram na família.

(Extraído de Cosmos, Editora Francisco Alves, 1983 - Capítulo O Limite do Eterno, Págs 262 e 263.)




Deixo também um link para os episódios da série e o site oficial. Delícia pura.








A fonte para as informações complementares: Internet, Wikipedia e os dois sites já citados.



Forte abraço para todos,
Márcio

sábado, 8 de maio de 2010

Bedtime Story


It was early in the morning when little Heinz came to wake me up. Urgent briefing awaited me, I rushed into my clothes and went to the hangar. Commander William (or it might have been Wilson, my memory is failing me lately) was already warming things up. Being fresh from the academy I was a bit nervous and I failed to digest all the flight plan info. My mind kept wandering to my childhood in Karlsruhe, all that playing in the park by The Schloss, the fair maidens parading around, the astonishingly great beer...  -'HEY !!  You there!! Stop daydreaming, son of a gun!!  This is KampfGruppen Eins. Fit in and wake up or I will do it for you!!' - That was sweet old commander in his best moments...  Well, I miss it all anyway.

Dawn was still creeping over the horizon and my crew was already strapped to our wondrous Ju-88 - A war winner plane, if I am allowed to say it. The two powerful DB engines flared alive and I throttled up and started taxiing. Great care needed there, I tell you young ones. Saw several good planes and crews go up in flames after a crash during taxi. Eyeballs wide open, I formed on the runway. Ops, sorry there number two, just overtook your plane. You see, I actually made the whole flight in position number 1.5, half-squeezing close to the leader. I hope number two has forgiven me, God rest his soul. Oberfeldwebel Karl Von Piperen was just on my 5 o'clock. Engines roaring we filled the sky with german wonder. Ah, those were the times. You see, my boy, all the girls then reeeeally looked forward to be nice to... Oh, here comes your mother! Let's keep that to ourselves, shall we? And quit the snickering.



Where was I? Yes, yes, I got it. After a few circles around the base to allow for everyone to catch up, South we went. Have I told you that happened in Crimea? What is that? No, it is not in Hawaii, never mind. Anyway, I'll speak to your mother about Geography. When she was your age she already knew where Crimea is, I taught her well. Oh, your Grandma did a nice job too, God embrace those old bones in his lap. Now shut up and listen, soon I will need to take my medicine and then I won't remember even my name.

We made a nice formation so-called Gaggle at the time. Yes, yes, pretty nice. Several fighters above us for protection, and up we went, to destroy the harbor at Sevastopol. After several uneventful minutes, with Von Piperen flying ever closer, the damned russian flak started to explode around us. Flak, young one, is bombs exploding in mid-air trying to kill your Grandpa. Our beloved Commander's plane started to smoke. Not a giant cigar, no. How do you come up with such stuff anyway? His engine was letting out smoke, bad sign. But on he went, as only a true Arian can manage. Hey kid, forget I said that. Other times, other times.

Anyway after a few changes in course, we aimed straight for the harbor. I must tell you, kid, that Commander Willie (as we called him) did a nice and smooth flight that night. He then reminded us his plan. To dive bomb and hit the harbor from very low altitude. Dangerous stuff, kid! I could fell von Piperen trembling with fear! My crew, of course, was cool as a nice beer in winter. The Commander signaled, start dive NOW!

Down we went. Airbrakes deployed, wind whistling all around us, plane shaking, flak all over us, and a damned fighter trying his best to blow us to smithereens. Hope he rots in Hell, that Fu@#@#@g  bastard!! Eh, never mind that too, kid, I must be getting a little dizzy. No, Grandpa never says four-letter words. Neither should you. So, we were plummeting from the sky, I let my plane drift a bit to the right from Willie's, and I dropped the bombs. Bombs Los !!! Then to hear the amazing blast of German Ire. That morning I blasted a whole industrial block to pieces. Commander Willie, I was told later, got really mad cause he missed his target. Anyway, he was a good commander.

Alas! That damned fighter was still in our six, firing like his got the whole Russian Goddamned Ammo Industry packed inside that Devil Beblasted piece of S#it !! I got my comms and yelled for help!! Banking left my plane pulled up and leaped ahead. Full Throttle!! My gunners were firing, but they were called Moe, Larry and Curly. What that means?? Come on! It means they hit shit!!! Our plane was being chewed to pieces by the Almightly Deformed Bolshevik, may he burn in the seven circles of Hell, may his seed never bear fruit! ... Argh!!  Kid, get me that red pill over there, quick!!  No, no, Grandpa is fine. Let me drink this. Red??  Who is red like a newborn pig, you little... Come here!!

Ok. Now behave and listen. After what seemed an eternity our fighters finally got to help us, exploding the Red Rat as he deserved. Well, if you ask me, he really deserved a slow, bubbling, very painful... Never mind. Free from the enemies we made our way to a closer airstrip and landed. Actually I half destroyed my plane during that disturbing and most uncomfortable landing. Larry unfortunately did not survive, God take his soul and keep him warm and dry. That, little man, was how Grandpa got this here medal. Now rush to bed. Come on, good night. Sleep tight.

Oh!! Hi sweetie. What I was doing? Nothing. Just telling the kid a nice bedtime story. Yelling? No, that must have been the neighbor. You know how that fellow can get his temper worked up. Good night.

domingo, 18 de abril de 2010

Desenvolvimento e as pererecas.



Saudações meus leitores.

Há muito tempo que não escrevo aqui, vim remover o bolor. Aliás, o tema é bolorento já, aos meus olhos. Desenvolvimento. Este processo que todos dizem desejável, que aumenta nossa renda nacional, que dá a todos melhores condições de vida, melhor educação, segurança e saúde.

Pergunte a qualquer energúmeno capacitado sobre os benefícios do desenvolvimento econômico e receberão respostas efusivas e entusiasmadas. Mas o desenvolvimento tem um preço. Tudo tem seu preço, sempre. Neste caso o preço é bastante visível, e algo duro de engolir. Precisamos de recursos naturais. Precisamos de energia. Precisamos de indústrias de transformação.

Recursos nosso país tem. Para extrair estes recursos, invadimos e agredimos a natureza. Ato cada vez mais considerado impopular. Queremos o alumínio, mas vamos extrair a bauxita sem danificar aquele belo riacho ali adiante. E as pererecas que ali procriam? Temos que pensar nisso.

Para energia, precisamos de grandes investimentos e grandes projetos. A bola da vez é a Usina de Belo Monte, que será a 3a maior do mundo depois do gigante chinês das 3 gargantas e Itaipú. Quando completa, vai inundar uma área enorme e desabrigar 22 mil famílias, além de aniquilar parte do habitat de diversas comunidades indígenas.

Nossas indústrias poluem!! Grande novidade não? Ainda não inventaram a siderúrgica não poluente. Mas sem as indústrias nós venderemos bauxita por 1 para comprar alumínio por 15. A grana fica com o país industrializado que banca a poluição.

Bem, não deve haver dúvida de que enumerei aqui 3 atos de vilania ambiental. Destruição para extração, inundação para geração de energia e poluição industrial. O ativista do Greenpeace de plantão pode começar a bufar.

Mas para que o país se desenvolva precisamos disso. Infelizmente os índios terão que se mudar, ou deixar sua cultura perecer. As famílias na região das usinas terão que sair de lá, coisa triste, mas necessária. Num país onde o índice de pobreza é altíssimo, desenvolvimento é a única saída. Devemos usar a preocupação ambiental para tomar decisões inteligentes, que não gerem desperdícios ou agressões desnecessárias. Mas algumas vilanias serão necessárias, e devem ser feitas.

Existe uma massa imbecil esverdeada que prega a preservação acima de tudo. Ora, isto não  é um parque nacional. Isto é um país em desenvolvimento. Quer que não façamos a usina de Belo Monte, como veio aqui cacarejar a múmia azul, então que nos paguem pelo valor de desenvolvimento negado ou atrasado. Que tal 10 Bi por ano durante um século??

Verdes, azuis e rosas, botem uma coisa na cabeça. A idéia do parquinho feliz é muito bonita para um americano limitado como o Cameron. Muito confortável para ele saber que tem aqui no "fim do mundo" uma Amazônia que ficará preservada para que seus filhos venham visitar. Será que ele pensou no impacto ambiental causado pela queima dos 5000 galões de querosene usados para trazer sua carcaça azul para protestar aqui? Duvido.

Quero ver um panaca destes limitando seu estilo de vida pessoal por suas preocupações ambientais. Desmontando sua mansão para permitir o retorno da mata nativa californiana. Cancelando suas viagens de turismo e panfletagem colorida para reduzir a poluição atmosférica. Não se iludam, leitores, esses caras são tão vazios quanto suas propostas. E tão egoístas quanto, também.

A feliz hipocrisia dos desenvolvidos e seus respingos verdes tropicais pode ser explicada facilmente por uma única e sempre presente questão. Dinheiro. O desenvolvido quer continuar comprando silício e vendendo chip. Comprando bauxita e vendendo alumínio. Cada passo que o Brasil dá rumo ao desenvolvimento é um passo de um concorrente potencial se aproximando deles, os desenvolvidos. A verborragia verde é apenas mais uma ferramenta de atraso. Quanto mais eles nos atrasarem, mais lucram.

Prova de nosso incômodo gerado é nossa indústria aeronáutica. A Embraer vende aviões pro mundo todo. Os desenvolvidos aplaudem e acham bom? Muito ruim hein?!  Os caras nos processam quando podem, copiam nossos modelos (Super Tucano) e rezam para nossa volta à indústria cafeeira.

Ouço sempre o conto de que os brasileiros são muito bem recebidos lá fora. Que povo pacífico, como nunca incomodamos ninguém... À medida que nosso desenvolvimento aumentar esta percepção diminuirá. Quando as nossas multinacionais forem explorar a mão-de-obra lá, e nossos produtos causarem desemprego lá, vejamos então como nos admiram.

Hipocrisia é triste. Vamos olhar para o país, fazê-lo crescer e enriquecer (me desculpem aqui os índios e demais comunidades prejudicadas inicialmente pelo processo) e depois, quando investirmos pesado em educação, vamos deixar esses gringos para trás!

Mas atenção, para chegarmos vivos a este patamar temos que nos armar até os dentes. Nossos vizinhos do norte costumam tratar de incômodos de forma usualmente violenta...  E vamos nos tornar incômodos, se tudo correr bem. O Brasil vai deixar de ser popular para ser... Rico!